Carrinho 0

É seguro usar repelente em bebês e crianças?

cuidados saúde

A maioria dos pediatras prefere que repelentes, mesmo os específicos para bebês, só sejam usados depois dos 6 meses.

As substâncias químicas presentes no repelente podem ser prejudiciais ao bebê e provocar reações alérgicas, já que a pele é ultradelicada. Além disso, as substâncias podem ser absorvidas e provocar reações tóxicas.

 

Nunca se deve usar repelente em bebês de menos de 6 meses?

Em situações de surto de doenças transmitidas por mosquitos, a orientação do pediatra pode mudar. Mas cada caso é um caso. Converse com o médico de sua confiança para receber orientações específicas para o seu filho.

A medida mais importante para afastar mosquitos que transmitem doenças é proteger a casa, eliminando qualquer tipo de criadouro com água parada.

Para afastar os mosquitos do quarto da criança, o método mais inofensivo à saúde são o uso de telas nas janelas e, para bebês que ainda não ficam de pé, o uso de telas e mosquiteiros no berço. Aparelhos de tomada que liberam inseticida podem ser prejudiciais nessa idade.

Se precisar usar o aparelho, o recomendado é ligá-lo quando a criança não estiver no quarto, e depois desligá-lo. Se não houver outra saída, deixe o aparelho longe da cama, e não deixe de consultar o pediatra.

Outra opção é passar a loção repelente no lado externo da roupa da criança, tomando o cuidado para não aplicar em tecidos que ela possa colocar na boca. Velas ou difusores de essência de citronela também podem ser usados, quando o bebê não estiver no quarto e com muita atenção ao risco de incêndio.

Mantenha o bebê vestido com roupas leves e de preferência claras, cobrindo a maior parte do corpo. Prefira tecidos naturais, que não esquentem demais no calor e permitam a respiração da pele.

Como os repelentes contra mosquitos agem?

Os repelentes não matam os mosquitos. Mas, quando passados na pele, os repelentes impedem que os mosquitos piquem, por um período limitado de tempo.

A duração desse período depende das substâncias químicas de que o produto é feito, e também de outros fatores, como a umidade ou o tipo de pele da pessoa.

O mosquito também pode se "acostumar" com o cheiro do repelente, e aí a eficácia diminui.

Quais são as opções aos repelentes?

Os repelentes e inseticidas podem ser feitos a partir de substâncias químicas sintéticas ou de produtos naturais, como a citronela. O fato de ser natural, porém, não quer dizer que o produto não possa produzir irritações.

Também existem dispositivos que emitem ondas de ultrassom ou eletromagnéticas para repelir insetos. Os elétricos só funcionam em ambientes fechados, e pode ser necessário mais que um aparelho para cobrir toda a área. Também é preciso haver uma porta ou janela aberta para os insetos saírem do cômodo.

Como o som é inaudível para os seres humanos, eles aparentemente são seguros para o uso com bebês. Existem alguns modelos a pilha, que podem ser levados com a pessoa ao ar livre, mas nesse caso a eficácia não é garantida.

Como decidir que tipo de repelente ou inseticida usar?

O tipo de repelente escolhido vai depender da situação, da necessidade e da idade da criança. Veja abaixo os tipos de repelente:

Loções, cremes e sprays para o corpo

Prós: Eficazes em ambientes fechados
Contras: Podem causar reação alérgica se usados em bebês.
Precauções: Só compre produtos de marcas reconhecidas. Siga as instruções da embalagem e que especifiquem a composição química. O uso dessas loções em bebês de menos de 6 meses só pode ser feito com orientação expressa do pediatra.

Aparelhos de tomada em líquido ou pastilha

Prós: Eficazes em ambiente fechado
Contras: Liberam o inseticida pelo calor
Precauções: O mais seguro é usar em outros cômodos da casa que não o quarto do bebê. Se o problema de mosquitos for difícil de controlar na sua casa, consulte o pediatra para ver se ele libera o aparelho no quarto e observe se há reações adversas, como tosse.

Inseticidas em spray

Prós: Eficazes em ambientes fechados e em áreas limitadas ao ar livre
Contras: Substâncias nocivas podem ser inaladas
Precauções: Pode causar alergias e problemas respiratórios

Espirais

Prós: Eficazes em ambientes abertos, em uma área limitada
Contras: Os espirais emitem fumaça quando queimados
Precauções: Podem causar alergia e problemas respiratórios

Telas e redes mosquiteiras

Prós: Eficazes desde que bem usadas
Contras: Se ficarem abertas podem permitir a entrada de mosquitos. Quando a criança fica em pé, pode pegá-las e se enroscar nelas.
Precauções: Os mosquiteiros são uma boa opção para bebês pequenos. Só verifique se não há mosquitos dentro dele, e lave-o com frequência para não acumular pó. Pare de usar quando a criança conseguir alcançá-lo.

Óleo essencial de citronela

Prós: Eficaz na aplicação direta
Contras: Pode causar reação alérgica e o efeito não é muito duradouro
Precauções: Óleos essenciais são muito fortes e não devem ser usados diretamente na pele de bebês e crianças pequenas.

O que mais posso fazer para manter a casa livre de mosquitos?

      • Mantenha a casa e o quintal limpos e sem água empoçada. Os mosquitos se reproduzem na água estagnada.
      • Troque com frequência a água de animais domésticos, coloque areia nos pratos dos vasos e não deixe ao relento recipientes que possam acumular água.
      • Vista roupas claras no seu filho. Cores vivas e escuras parecem atrair insetos, portanto vale a pena tentar investir em roupas claras. Em locais onde há muitos insetos, prefira calças compridas e blusas de manga comprida, para deixar menos pele exposta.
      • O Aedes aegypti, que transmite a dengue, a zika e o chikungunya costuma picar durante o dia e nas pernas e nos pés, portanto proteja essas áreas para evitar as doenças.
      • Evite perfumes fortes. Sabonetes, cremes e perfumes podem atrair insetos. Nunca deixe alimentos descobertos em casa, e tenha cuidado especial com mel e doces.
      • Pense na possibilidade de instalar telas mosquiteiras nas portas e janelas.

Embora os mosquitos do tipo Aedes da dengue tenham hábitos diurnos, outros tipos de mosquito entram nas casas ao anoitecer. A instalação de telas impede a entrada dos insetos sem que as janelas precisem ser fechadas.

Use mosquiteiro no berço e no carrinho. Essa opção é segura enquanto o bebê não se mexe muito no berço. Verifique sempre se não há mosquitos sob o véu e lave-o com frequência.

Já existem mosquiteiros tratados com inseticida, que são recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), inclusive para adultos, no combate a doenças transmitidas por mosquitos, como a malária.

Mas esse tipo de mosquiteiro, com tratamento de inseticida, ainda é difícil de encontrar e o preço é relativamente alto. O inseticida fica ativo por até cinco anos, e o produto pode ser lavado.

Artigo retirado do site Brasil Baby Center

Postagens Relacionadas



Postagem anterior Postagem seguinte


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados